domingo, 3 de abril de 2011

APOSTILA - ( ESCRITURA SAGRADA)



“Toda a escritura divinamente inspirada por Deus é útil para ensinar, para repreender, para corrigir, para a educação na justiça.”
(II Timóteo 3:16)
- Antes que o Pecado entrasse no mundo, Adão gozava de plena comunhão com seu criador. Porém, desde que o homem se separou de Deus pela transgressão, a raça humana perdeu esse privilégio.
Pelo plano da redenção, entretanto, abriu-se um caminho para que os habitantes da terra possa ainda ter ligação com o céu.
“Disse Jesus: Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vai ao pai (Deus) senão por mim”.                                                                        (João 14:6)
- Deus se comunicava com os homens por intermédio do seu espírito; através da
revelações feitas a seus escolhidos. Alguns patriarcas e profetas.
“Na verdade, a profecia nunca foi dada pela vontade dos homens, mas os homens santos de Deus falaram inspiradas pelo Espírito Santo”.
                                                                               (II Pedro 1:21)                                                           
- Durante os primeiros vinte e cinco séculos da história humana, não houve revelação escrita. Os patriarcas e profetas que tinham sido ensinados por Deus comunicavam seu saber a outros, através da fala. E esse saber era transmitido de pai para filho, através de gerações sucessivas.
A revelação escrita iniciou-se no tempo de Moisés, que começou um inspirado volume, esta obra continuou durante o longo período de dezesseis séculos, até ao apóstolo João que relatou o último livro da Bíblia (o Apocalipse).
A Escritura Sagrada aponta a Deus como seu autor, mesmo ela terem sido escrita por mãos humanas; as verdades nela escrita são todas por inspiração do Espírito Santo de Deus.
O ser infinito, por meio de seu Santo Espírito, derramou luz no entendimento e coração de seus servos. Deu sonhos e visões, símbolos e figuras; e todos aqueles a quem a verdade de Deus foi assim revelada, concretizaram os pensamentos em linguagem humana.
Os dez mandamentos foram pronunciados pelo próprio Deus, e por sua própria mão foram escritos. São de redação divina e não humana. Mas a escritura sagrada, com suas divinas verdades, expressas em linguagem de homens, apresenta uma união semelhante a que existiu na natureza de cristo, que era o filho de Deus e filho de ser humano. A palavra personificada no Cristo.
“E o verbo ser fez carne, e habitou entre nós; e nós vimos a sua glória, glória como de unigênito do pai, cheio de graça e de verdade”.
(João 1:14)
- Em sua palavra, Deus conferiu aos homens o conhecimento necessário para sua salvação. As Santas Escrituras devem ser aceitas como revelação autorizada e infalível de Deus.
Todavia, o fato de que Deus revelou sua vontade aos homens por meio de sua palavra, não tornou desnecessário a contínua presença e direção do Espírito Santo. Ao contrário, o Espírito Santo foi prometido por nosso salvador (Jesus Cristo) para aclarar a palavra a seus escolhidos, para iluminar e aplicar os seus ensinos.
E visto ter sido o Espírito de Deus que inspirou a escritura sagrada, é impossível que o ensino do Espírito Santo seja contrário ao da palavra.
O Espírito Santo não foi prometido, nem nunca o poderia ser, a fim de sobrepor-se à escritura.
“Quando vier, porém, o Espírito da Verdade, Ele vos guiará no caminho de toda a verdade, porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vós anunciará as coisas que estão para vir.”
                                                                                              (João 16:13)
- As escrituras claramente ensinam que suas promessas, não se limitam apenas           aos dias apostólicos, mas se estendem a todos os cristões em todos os séculos.
“Creio que a Bíblia é o melhor presente que Deus já deu ao homem. Todo o bem, da parte do salvador do mundo, nos é transmitido mediante este livro”.
                       (Abraão Lincoln-Presidente dos Estados Unidos em 1859)
“A Bíblia não é um simples livro, senão uma criatura vivente, dotada de uma fôrça que vence a quantos se lhe opõem”.
                                               (Napoleão – Imperador Francês em 1804)
“Este livro dá a razão da supremacia da Inglaterra”
                                                (Vitória – Rainha da Inglaterra em 1837)
“Orei pedindo fé, e pensei que algum dia ela cairia e me atingiria como um raio, mas parecia que a fé não vinha.
Um dia li na Bíblia que a fé vem pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus. Tinha fechado minha Bíblia e orara, pedindo fé.
Mas então abri a Bíblia e comecei a estudá-la. Desde então a minha fé vem sempre aumentando.”
                                                                           (D.L. Moody  Escritor)
- A escritura sagrada manifestar a justiça e benevolência de Deus; e mostrar a natureza santa e inalterável de sua lei.
Que mediante sua influência almas se possam libertar do poder das trevas, torna-se participantes da herança de salvação oferecida pelo próprio Deus para todos aqueles que se tornarem seu filho por intermédio da aceitação de seu filho Jesus como o Senhor e Salvador.(Não perca a oportunidade de se tornar um filho de Deus !!!)


   Livros pesquisados:


Bíblia Sagrada (Edição Paulinas e João Ferreira de Almeida)
O conflito dos séculos (Ellen G. White)
Manual Bíblico (Henry H. Halley)
Dicionários (Novo Brasil Editora Ltda) e (Lello Universal)
                                        

      APERFEIÇOADO POR: Pr.   Jonas D. C. Ferreira
19 de Fevereiro de 2004
Mosqueiro – Belém – Pará – Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário